pastizzi

36 tipos de comida popular Maltesa que tens de experimentar

Por Julian Canlas - 15 MINUTOS DE LEITURA

Available in: English Français Deutsch Italiano Español Русский Nederlands Türkçe Ελληνικα polski

Embora localizada no meio do mediterrâneo, a comida tradicional maltesa é uma incrível mistura de diferentes sabores que lembram as muitas culturas com as quais o pequeno, mas poderoso, país já interagiu.

Os pratos familiares que parecem vir dos países vizinhos de Malta têm sabores diferentes, o que os torna verdadeiramente malteses. Enquanto as influências italianas são fortes, a culinária maltesa tem sabores árabes, franceses, ingleses e até alemães, que realmente tornam esta cozinha numa categoria à parte.

A cozinha maltesa é verdadeiramente multicultural, rústica e cheia de ingredientes frescos. Entre eles, temos as superestrelas maltesas, o pastizz, a comida de rua que todos adoram e o infame ensopado de coelho, que é o prato nacional não oficial do país. Há também um tipo de pão maltês que os locais amam tanto que fizeram uma petição para que ele fizesse parte da Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO. Há também os pratos que lembram o povo maltês das suas origens, como a kapunata, a resposta de Malta ao ratatouille francês.

Estás animado para descobrir mais sobre a história rica da culinária de Malta? Sem mais demoras, aqui estão 36 alimentos malteses que tornam a sua cozinha verdadeiramente única.

Pratos malteses populares que vais querer provar em Malta

1. Pastizzi

Antes do fast food chegar a Malta, um lanche rápido significava ir a uma padaria maltesa e comer um pastizz.

Agora, se estamos a falar do paraíso em forma de massa, esta comida maltesa pode ser extamente isso. Esta deliciosa massa saborosa com recheio de ricota ou ervilhas é a comida de rua maltesa que tanto os locais como os viajantes procuram.

Os pastizzi são tão populares em Malta que têm uma variação local da expressão “vende-se como pão quente”, que é inbiegħu bħall-pastizzi, ou “vende-se como pastizzi”.

Nem é preciso dizer que os pastizzi esgotam rapidamente e, tal como os bolos quentes, é melhor comê-los recém-saídos do forno, já que a massa fica mais estaladiça quando ainda está quente e crocante.

Malta também tem o seu próprio conjunto de restaurantes chamados pastizzeria, que, como já deves ter adivinhado, serve maioritariamente pastizzi, e a mais famosa está localizada em Rabat, e chama-se Crystal Palace.

Curiosidade: este lugar está aberto quase 24 horas por dia, 7 dias por semana, e costumava atender soldados durante a Segunda Guerra Mundial. Hoje, quando as coisas já estão mais pacíficas, eles atendem principalmente habitantes mais velhos, turistas que peregrinaram para comer os seus pastizzi mundialmente famosos e estudantes famintos que vão lá depois de uma noitada.

2. Stuffat Tal-Fenek ou ensopado de coelho

O ensopado de coelho, ou stuffat tal-fenek, como os locais o chamam, é o prato nacional não oficial de Malta.

Ensopado de coelho é o que os locais adoram e os estrangeiros querem experimentar ao visitar as ilhas.

Esta comida maltesa é servida de duas formas: cozida com um molho rico à base de tomate ou frita. Quando cozida, a carne de coelho torna-se incrivelmente macia devido ao lento processo de cozimento de 2 horas.

3. Fenek Moqli ou coelho frito

Embora o coelho frito seja menos popular do que o ensopado de coelho, não deixa de ser super delicioso, e é normalmente servido com uma dose de batatas fritas!

É o prato perfeito para um bom almoço de domingo, podendo ainda polvilhar com sal e pimenta e adicionar um pouco de tomilho!

4. Ftira

View this post on Instagram

The ftira is a Maltese icon. Change our minds. Whether you want a quick snack, or a full meal, it is there for you if you let it. You can fill your ftira with many ingredients, but for us, we prefer to have the traditional way. This open ftira was filled with tomato paste (kunserva), tuna (tonn-taz zejt), olives, capers, onions, sardines and fresh basil. Known as 'schiaccata' in eighteenth century, this ring-shaped flat bread has been part of Maltese diets for ages now. Its texture slightly resembles that of the ciabatta, however its crunchy outside and soft airy body make it unique. In 2018 Malta's Culture Directorate launched a petition to include the technique involved in the manufacturing of the traditional Ftira as part of UNESCO's Intangible Cultural Heritage (ICH) list. Food Historian Noel Buttigieg explains the importance of the ftira here: https://www.ichmalta.org/post/enjoying-ftira-with-a-spread-of-history We support this initiative. If you would like to see the Maltese Ftira as part of Unesco's Intangible Cultural Heritage list, do like we did and sign the petition below! https://www.change.org/p/the-maltese-ftira-for-the-intangible-cultural-heritage-list #omgfoodmalta #ftira #bread #heritage #unesco #maltafood #lovemaltaeats #maltaeats #maltafoodies #food #foodporn #foodblog #foodie #foodlovers #foodphotography #instafood #foodstagram #eat #foodblogger #visitmalta #lovemaltaeats

A post shared by OMG Food Malta | Food | Malta (@omgfoodmalta) on

Um dos pães mais amados da culinária maltesa, os habitantes locais fizeram uma petição para que a ftira fizesse parte da lista de patrimônio da UNESCO para artefatos culturais em Malta!

Essencialmente, a ftira, que tem a forma de um anel para os malteses, é como a baguete para os franceses.

Esta comida maltesa pode ser servida como uma refeição completa ou um lanche rápido, pode ser consumida com recheios de frutos do mar deliciosos, como sardinha e atum, ou com tomates frescos, cebolas, alcaparras e azeitonas. É tão versátil quanto um pão básico.

5. Hobz tal-Malti ou pão maltês

Sabias que a palavra hobz – pão em maltês – tem raízes árabes?

Esta comida maltesa traduz-se em pão maltês e é um tipo de pão de massa redonda e crocante, fermentada, que geralmente é cozida em fornos de lenha.

Qormi é a principal cidade para a fabricação de pão maltês e quase todas as padarias de lá têm disponível o pão maltês. A forma favorita de comer isso é ao mergulhar em azeite ou espalhando Kunserva (um tipo de pasta de tomate grossa). E, claro, pode comê-lo com atum e alcaparras também!

6. Hobz biz-zejt ou pão com azeite

Hobz biz-zejt traduz-se em pão com azeite, mas é muito mais do que isso.

É o alimento perfeito para comer antes de uma refeição ou apenas para um lanche. Frequentemente, é também uma comida deliciosa servida em muitos bares e restaurantes locais.

Fatias grossas de pão maltês, fofas por dentro e com crostas estaladiças, trazem sobre elas azeite, Kunserva, alcaparras maltesas e atum ou anchovas. Depois podes polvilhar um pouco de salsa para dar mais gosto. Que bom!

7. Bigilla

Este molho maltês tem favas e alho, tornando-o no aperitivo ou lanche perfeito para comer com pão!

E, claro, como toda a comida maltesa passada de geração em geração, cada família tem a sua versão secreta deste molho que dá um toque extra ao sabor, desde adicionar ervas até torná-lo mais picante!

As bebidas mais adoradas em Malta

8. Cisk

Cisk é a cerveja local de Malta. É amada por muitos, desde barhoppers e frequentadores de bares a reformados malteses que querem uma cerveja deliciosa produzida localmente.

Esta cerveja local tem uma vantagem em termos de sabor e frescor em relação a outras marcas de cerveja mais internacionais, porque cada lata de Cisk vai desde a cervejaria local diretamente para os bares onde é orgulhosamente servida. ⠀

Pode dizer-se que, se estiveres em Malta e gostares de cerveja, é obrigatório pedir uma lata de Cisk.

9. Kinnie

Se Cisk é a cerveja nacional não oficial de Malta, então Kinnie é o refrigerante nacional. Ambos vêm da mesma empresa.

Kinnie tem um aroma de laranja e um sabor agridoce proveniente das laranjas amargas e extrato de absinto. Embora muitos locais adorem, os estrangeiros podem precisar de mais algum tempo até se acostumarem com o sabor.

Pratos deliciosos de frutos do mar de Malta

10. Lampuka

Lampuka é a palavra maltesa para mahi-mahi, ou dorado noutras regiões. O lampuka é muito popular em Malta e está incluído em muitos pratos malteses.

A temporada de pesca do lampuki (o plural de lampuka) acontece durante o outono, quando os pescadores malteses, nos seus coloridos barcos luzzu, capturam o lampuki usando uma técnica chamada kannizzati.

11. Torta de lampuki

Esta comida maltesa é essencialmente história num prato. Enquanto o aspeto salgado atrai a cultura culinária britânica, há também aqui um toque de influências árabes com a hortelã, a casca de limão e as passas, e a italiana, com os tomates, azeitonas e alcaparras.

Este prato é particularmente popular desde o final de agosto até meados de novembro, tendo em conta que os lampuki são pescados sazonais.

12. Massa com ouriço-do-mar

Sim, leste bem. Masaa com ouriços-do-mar é uma iguaria local. Malta está repleta de ouriços-do-mar. Os nossos amigos malteses contaram-nos como os seus pais iam mergulhar de snorkel na Baía de St. Paul para procurar essas criaturas pontiagudas.

Eles enchiam um saco de plástico com ouriços-do-mar capturados no fundo do mar, abriam-nos suavemente com uma faca e retiravam o interior para se alimentar. Hoje, talvez devido às mudanças climáticas, esta prática já não é tão popular, pois os ouriços-do-mar estão a tornar-se menos comuns.

Embora hoje em dia qualquer restaurante maltês com um bom menu de frutos do mar tenha massas com ouriços do mar, os ouriços do mar são principalmente importados de Itália.

13. Torta de espinafre e atum

Ideal para a Quaresma, esta torta de espinafre e atum é uma das iguarias locais, mas também é perfeita para os meses frios de inverno.

É uma delícia culinária para todos os amantes de tortas, ou para quem quer, simplesmente, ser mais saudável.

14. Pixxispad

Bife de espadarte em maltês, este peixe é uma iguaria popular em Malta. É melhor grelhado, pincelado com manteiga derretida e decorado com rodelas de limão.

Petiscos deliciosos de Malta

15. Azeitonas maltesas

As azeitonas maltesas são um petisco delicioso, servido em bares e restaurantes, e usado em muitas receitas maltesas, em molhos de tomate e guisados de coelho.

Azeitonas e azeite são dois ingredientes comuns nos pratos do país há centenas de anos. Na verdade, há descobertas arqueológicas que provam que os romanos costumavam produzir azeite nas ilhas maltesas há 2.000 anos!

Malta possui também uma espécie de azeitona branca. O que dá às azeitonas maltesas uma vantagem sobre as mais populares, espanholas ou italianas, é a forma como são cultivadas.

De acordo com os produtores, as azeitonas são cultivadas num estado de “Caracóis Dourados”, onde o clima temperado, os níveis de pH do solo e os níveis de sol e chuva resultaram em azeitonas saborosas com uma doçura distinta.

Mas não foram apenas os produtores malteses que afirmaram os sabores especiais das suas azeitonas. Estas azeitonas passaram nos testes cegos oficiais realizados por especialistas em azeite.

16. Qassatat

Ao lado do famoso pastizzi, qassatat é outro snack saboroso para os malteses. Em quase todas as aldeias vais encontrar um pequeno restaurante que serve esta comida maltesa.

Eles são basicamente um “bolso” cheio de queijo ricota maltês ou ervilhas. Se tiveres espaço na barriga para mais um lanche saboroso, experimenta esta iguaria maltesa!

17. Gbejna

Gbejna é um queijo pequeno e redondo produzido em Malta, feito de leite de cabra, vaca ou ovelha e com coalho, um complexo de enzimas digestivas.

Este cheeselet é encontrado em muitos pratos maltesas, incluindo sopas e ensopados. Existem também várias formas de preparar gbejna.

Pode ser fresco, seco ao sol, curado com sal ou mesmo apimentado. O gbejna fresco tem uma textura lisa e um sabor leitoso, semelhante a mozzarella.

Ao ser seco ao sol, este queijo fica duro e adquire um sabor a noz. Quando as famílias maltesas preparavam as suas próprias versões deste cheeselet, preparavam-nas numa nemusiera, uma caixa de redes de mosquito, para permitir que o gbejniet secasse naturalmente e protegê-lo de insetos.

18. Alcaparras maltesas

As alcaparras maltesas são um ingrediente básico em Malta, incluído em muitos pratos tradicionais e colhidas abundantemente nas zonas rurais de Malta.

São uma ótima adição salgada a pães maltês, kapunata e até mesmo à torta lampuki! O clima maltês permite que essas alcaparras cresçam em tamanhos enormes!

They’re a great salty addition to Maltese breads, kapunata and even lampuki pie! Maltese climate allows these capers to grow into enormous sizes!

Comida maltesa com sabor a casa

19. Kapunata

Kapunata é como a resposta de Malta ao ratatouille francês. É um delicioso prato vegetariano feito com pimentão, alcaparra, berinjela, cebola, tomate, azeitonas e alho.

Ainda assim, são flexíveis para poderes adicionar alguns ingredientes da tua preferência ou até a adicionar carne, por exemplo. É semelhante à Caponata siciliana, daí o nome.

20. Imqarrun il-forn ou massa assada

Um favorito da comida tradicional maltesa com origens sicilianas, o imqarrun il-forn é semelhante a uma massa assado.

É como uma lasanha, mas sem queijo ricota. Este prato é um alimento de conforto absoluto, e os pedaços de massa queimada na superfície com molho de tomate semi-seco são super deliciosos.

Tal como acontece com a maioria dos pratos locais, cada maltês tem os seus próprios ingredientes secretos, como adicionar uma pitada de noz-moscada ou ervilhas frescas, que tornam este prato ainda mais saboroso.

21. Timpana

View this post on Instagram

Maltese 'Timpana' made plant-based! 😋 Proof that everything can be veganised and delicious! ❤️ And since so many reached out to ask for the recipe, I am sharing it here below! . Ingredients: 1 large onion, diced 4 cloves garlic, minced 2 medium carrots, grated 1 tbsp vegan Worcestershire sauce 1 tbsp liquid smoke S & P to taste 2 veg stock cubes 1 tbsp tomato paste Pinch sugar 1 bag @tescofood soy mince (450g) 2-3 cans tomato polpa 2 tbsp hot curry powder 1 tsp Italian Herbs 1 can lentils (or soak your own) 500ml soy cream (I used @alpro) 1 kg pasta (E.G. Macaroni or penne) 1 packet @jus_rol shortcrust pastry 2 Flax 'eggs' (2 tbsp Flax seeds mixed with 5 tbsp water in a bowl & rest for 5 minutes to thicken) Optional: Vegan cheeze (I used @greenvie parmesan) . . Method: Fry the onion and garlic until soft. Add the mince, carrots & curry powder and cook through. Add the liquid smoke, Worcestershire sauce, then the tomato paste and sugar, stirring well on medium heat. Add the tomato polpa, lentils, herbs, stock cubes and simmer for about 20mins until the sauce is fragrant & rich. Make sure that the sauce has a strong flavour as you want it to stand up to it being mixed into the cream and pasta in the next steps. In the meantime, cook the pasta as per instructions until 'al dente', meaning that there's still a bite to it. Drain, mix the sauce into the pasta, add the cream and the Flax 'eggs'. Mix until well incorporated. Add cheeze at this point if so desired. Now, prepare your over dish. Roll out the pastry large enough to line the dish and leave the extra hanging onto the sides. *Pro-tip: sprinkle a layer of breadcrumbs on the pastry base before adding the pasta mixture so that you ensure the bottom of the Timpana cooks well since the breadcrumbs absorb extra moisture 😉* Pour in the pasta, pressing it down to compact it into the dish. You can now either fold over the pastry, leaving the middle exposed or close the pie with a layer of pastry on top, then folding over the sides. Bake for 40mins at 190°C fan until pastry is cooked. P. S. This makes enough pasta for an extra dish of plain mqarrun too! Just pour the extra pasta in a dish & bake until golden!

A post shared by Audrienne Fenech (@audriennef) on

A resposta de Malta ao timpano italiano, esta comida maltesa é uma torta de massa assada envolta em massa folhada e temperada com uma molho de tomate picante.

São deliciosas camadas e camadas que incluem carne picada, bacon e ovos cozidos. Quanto às massas, as mais utilizadas são penne, ziti ou macarrão, mas todas as massas tubulares são perfeitas para este tipo de cozinhado.

22. Qarabaghli Mimli fil-Forn ou courgete recheada

É um favorito dos locais. As courgetes são recheadas com carne ou ricota e às vezes servidas com um caldo.

Esta comida maltesa pode ser servida quente ou fria, mas a maneira mais comum de comê-las é assadas no forno e ainda quentes.

23. Bhal fil-forn ou assado no forno

É traduzido como assado no forno. Esta comida maltesa é simples e muito popular e consiste em, como já deves ter adivinhado, carne e vegetais postos no forno que se transformam numa refeição que podes tornar tanto ou pouco saudável quanto desejares.

24. Bragioli ou azeitonas bovinas

View this post on Instagram

Bragioli is a typical Maltese meat dish, like most of the region's salty cuisine, where succulent rolled steaks are stuffed with bacon, eggs, herbs and sometimes bread crumbs, cooked in a delicious red wine sauce! 🍲😋 Impossible to eat only one… . O Bragioli é um prato típico Maltês à base de carne, como maioria da culinária salgada da região, onde suculentos bifes enrolados são recheados com bacon, ovos, ervas aromáticas e algumas vezes com migalhas de pão, cozidos em um delicioso molho de vinho tinto! 🍲😋Impossível comer apenas um… . 📷: Pebbles Resort / Reprodução . #VisitMalta #Maltesecuisine #munchies #gastronomia #comida #bragioli #salty #meatrolls #bifeenrolado #byBrunaMaier

A post shared by Bruna Maier (@bybrunamaier) on

O Bragioli tem uma tradução esquisita. Significa “azeitonas de boi”, mas não há azeitonas envolvidas.

Este nome refere-se ao facto da carne ser recheada e se assemelhar a azeitonas quando estão cozida.

A carne é lentamente refogada em vinho por um longo tempo, depois coberta com um molho rico de tomate e é frequentemente servida com puré de batata e ervilhas.

Esta é uma comida muito tradicional em Malta e muitas vezes cozinhada por malteses no estrangeiro, como um sentimento de lembrança de casa.

25. Brungiel Mimli ou berinjela recheada

Brungiel mimli é maltês para berinjelas recheadas e é uma comida maltesa local muito popular.

Os malteses contam que é o tipo de comida que a mãe faz para a família aos domingos.

As berinjela levam carne picada dentro e uma fatia de queijo por cima. Yummy!

26. Zalzett Malti ou linguiça recheada

Os malteses adoram as suas salsichas tradicionais, que, temos de admitir, têm bastante sabor.

Uma parte importante da cozinha maltesa, a preparação da zalzetta tal-malti, tem algumas influências inglesas, mas também é feita de acordo com algumas tradições portuguesas.

Tradicionalmente, esta comida maltesa inclui carne de porco e gordura e é semelhante à salsiccia italiana. As salsichas frescas maltesas também costumam ser feitas com alho, mas as de tipo mais seco são feitas sem.

São tantas as diferentes formas de cozinhar essas salsichas, que se podem fazer grelhadas, fumadas, cozidas a vapor, cozidas e fritas. Podem também ser cozidas em molho de tomate, ou até mesmo comidas no pão com tomates desidratados.

Sopas maltesas

27. Minestra

Minestra é a versão tradicional maltesa da muito popular sopa minestrone de Itália.

É o tipo de comida maltesa que foi passada de geração em geração, o que faz com que cada família tenha as suas próprias variações para uma refeição deliciosa.

A minestra está repleta de vegetais frescos e locais e é o prato perfeito para os meses amenos do inverno e durante a Páscoa. E, claro, os ingredientes mais comuns incluem Kunserva, batatas, nabo, couve-flor e talvez até massa.

28. Kusksu bil-Ful ou sopa de favas e massa

Esta tradicional sopa maltesa de favas e massa tem todos os ingredientes essenciais da cozinha maltesa: há o gbejnet, o Kunserva e as pequenas pérolas de massa, que são conhecidas como kusksu.

Existem diferentes versões desta comida maltesa, que incluem peixe, repolho e até bacon! Mas a versão mais tradicional desta sopa vem sempre com favas.

Como esta refeição se assemelha a cuscuz, isso pode significar que a sopa se tornou popular durante a ocupação árabe em Malta, mas as fontes oficiais sobre este assunto mantém-se secretas.

29. Soppa tal-armla ou sopa de viúva

Um prato com um nome tão sombrio, mas quase todas as famílias têm a sua própria versão da soppa tal-armla maltês, ou sopa de viúva.

Na verdade, o seu nome está relacionado ao facto de ser uma receita tão barata e fácil de fazer que até as viúvas enlutadas podem cozinhá-la a qualquer hora. Podes adicionar couve-flor, gbejna e nabo, polvilhar com sal e pimenta e enfeitar com salsa!

E terás uma boa refeição que pode ser a comida perfeita durante aqueles meses frios de inverno!

30. Aljotta ou sopa de peixe

Aljotta é um tipo de sopa de peixe maltesa feita com ingredientes locais, incluindo peixes vendidos nos mercados de peixe de Marsaxlokk, azeite maltês e gbejna.

Este alimento maltês é rico em sabores de diferentes ervas e em sumo de limão, que dá uma certa acidez à sopa.

Este prato é tão popular que existe até um ditado que diz que podes julgar o grau de culinária de uma cozinha maltesa apenas provando o quão deliciosa é a sua aljota!

A aljota é também popular durante a Quaresma, especialmente quando não se deve comer carne.

Doces festivos de Malta

 

31. Prinjolata

Agora, o prinjolata está meio decadente. Este bolo é popular especialmente durante o carnaval, quando os locais estão prontos para se deliciar com esta deliciosa comida maltesa.

Durante essa temporada, podes ver cafés e restaurantes a exibir esse monte louco nas suas vitrines. A prinjolata recebe o nome do prinjol, que significa pinhão maltês, que é o seu recheio.

Por baixo da camada de bolinhas de cerejas cristalizadas, chantilly e calda de chocolate, há um pão de ló e ainda se pode incluir um pouco de uísque no creme.

32. Figolla

A figolla é uma pastelaria maltesa com recheio semelhante à maçapão.

Embora costumasse ser um presente para ser dado aos seus entes queridos no domingo de Páscoa (ainda é popular durante essa época do ano), agora é vendido em qualquer lugar e durante o ano todo.

Tradicionalmente moldado em várias figuras cristãs, como corações, cruzes e até peixes, hoje em dia podes transformar a figolla em qualquer coisa que a pessoa a quem estás a oferecer goste.

Diz-se que a forma plural de figolla, figulli, tem raízes antigas de Sicília e vem da palavra siciliana figulina, que significa figura. Embora o equivalente siciliano não seja popular nos tempos modernos, os figolla ainda são bem recebidos em Malta.

33. Ghadam tal-Mejtin ou ossos de homens mortos

Traduzido em ossos de homens mortos, estas iguarias tradicionais maltesas têm origens religiosas e foram feitas para homenagear parentes mortos no Dia de Finados, a 2 de novembro.

Como já deves saber, Malta é um país bastante religioso. Mas, hoje em dia, eles tornaram isso num doce delicioso que é perfeito para o Halloween ou para o mês de novembro, quando são geralmente vendidos.

Em termos de ingredientes, eles são idênticos aos da figolla, excepto, bem… a sua forma óssea.

34. Qaghaq tal-ghasel ou anéis de mel

Embora tradicionalmente feitos e partilhados durante o Natal, estes anéis de mel estão disponíveis em lojas durante o ano todo.

Mas é durante as férias de Natal que os temperos para esta comida maltesa estão disponíveis. Em qualquer caso, eles são deliciosos e têm um optimo aspecto.

Eles são preenchidos com uma mistura de melaço, água, semolina, açúcar, cacau em pó, sementes de anis e outros sabores cítricos.

35. Kwarezimal

View this post on Instagram

Kwarezimal are traditional Maltese lenten cookies that are free from any fats and eggs so that they could be consumed while fasting. They are full of almonds, citrus zest and orange blossom water and they make your kitchen smell AMAZING!! I made mine gluten & refined sugar free this time and they turned out delicious! 👌🏼😋 . << Traditional Maltese Kwarezimal >> . . #malta #maltesefood #ikelmalti #maltesesweets #kwarezimal #traditionalfood #vegansweets #mediterraneanfood #cleaneating #healthyeating #lowcarb #lowgi #sugarfree #norefinedsugar #goodcarbs #pcos #pcosdiet #pcosfriendly #insulinresistance #whole30 #keto #glutenfree #dairyfree #vegetarian #weightloss #goodfats #30daypcosdietchallenge #pcosfighter #grandfraisetmoi #vitalfood_mag

A post shared by Desperate Kitchen Goddess (@desperatekitchengoddess) on

Kwarezimal foi trazido pelos Cavaleiros de Malta e é derivado da palavra latina quaresima, que se refere aos 40 dias da Quaresma.

Como tradicionalmente não se pode comer produtos à base de carne durante a Quaresma, também não há ovos nem gordura de carne nesta receita.

A receita original de Malta resulta num biscoito esponjoso feito com especiarias e amêndoas moídas. Leva açúcar porque naquela época o açúcar era considerado uma especiaria.

36. Imqaret

Os Imqaret são doces muito populares vendidos nos mercados de rua de Malta.

O seu nome é uma referência ao formato do diamante, mas alguns são vendidos em formato retangular.

Os Imqaret são massas maltesas fritas e recheadas com tâmaras, normalmente infundidas com notas de anis e folha de louro, ingredientes predominantes na culinária árabe também.

Se os quiseres experimentar, podes encontrá-los em quase todos os restaurantes e cafés de Malta. Estas guloseimas são particularmente populares durante o Natal, com um chá quente a acompanhar.

Queres uma tour de comida maltesa?

Gostaste desse artigo? Ficaste com fome agora, certo? Malta pode ser um país pequeno, mas tem uma cultura alimentar extremamente fascinante, pois é essencialmente uma mistura de sabores árabes e europeus.

Se estiveres a viajar para Malta e quiseres ver os melhores restaurantes, faz download do TWISPER para encontrares mais recomendações. Lá, encontras os melhores restaurantes, bares e cafés de Malta a visitar!

Não vais quer perder os melhores sítios para comer gbejna caseiro ou pastizzi delicioso 😉

 

Por Julian Canlas

O Julian tem 20 e poucos anos, adora viajar e escrever sobre a cultura online. Segue as suas viagens pelo mundo e descobre mais recomendações de lugares incríveis para comer, dormir e beber na app TWISPER.

0 palmas